Curso Introdutório de Análise Transacional – AT 101

div_101_out16-001

 

 

A AT acredita:

a)   Na oqueidade: uma crença no potencial de cada um de sentir-se bem consigo e com o outro, de estabelecer relacionamentos saudáveis e construtivos na família, no trabalho e nos diversos grupos sociais, mesmo diante das dificuldades do dia-a-dia;

b)   Nas relações contratuais, onde cada um pode assumir sua parte de responsabilidade para o alcance de objetivos comuns;

c)   Na autonomia, que significa a possibilidade de tomar decisões conscientes, espontâneas e com capacidade de conexão verdadeira nos relacionamentos;

d)   Que nossos padrões de pensamentos, sentimentos, comunicação e relacionamentos podem ser identificadosde maneira prática e ao se tornarem conscientes, propiciam as mudanças que queremos em nós mesmos.

 Conteúdo programático do curso AT 101 – Certificado emitido pela UNAT-Brasil

  1. A perspectiva da AT: histórico e valores que fundamentam a teoria
  2. A estrutura da personalidade: Pai, Adulto e Criança e suas funções
  3. Os padrões e as formas de comunicação nas relações
  4. Posições Existenciais: as convicções das pessoas sobre si e sobre o outro
  5. Padrões de comportamento repetitivos: os Jogos Psicológicos
  6. Reconhecimento: compreendendo e lidando com esta necessidade básica
  7. A utilização do recurso Tempo Social
  8. Os padrões emocionais: emoções naturais e as aprendidas
  9. Script de vida: que decisões dirigem as escolhas das pessoas
  10. Em direção a Autonomia: fazendo escolhas conscientes e produtivas

Metodologia 

A metodologia será essencialmente conceitual, através de exposição dialogada sobre os conceitos. Terá apoio de textos, cenas de filmes e, eventualmente, alguns exercícios.

Facilitadores Certificados pela UNAT-Brasil para área Organizacional

Andreia Cechin – Fonoaudióloga CRFa 6059Pr, formada pela PUC-Pr, especialista em Voz pelo CEFAC-SP. Analista Transacional Certificada pela UNAT Brasil. Didata em Formação. Especialista em GRUPOS pela Sociedade Brasileira de Dinâmica de Grupos (SBDG). Atua com atendimento individual em Aperfeiçoamen­to de Comunicação e Expressão desde 1995 e presta Consultoria em Expressão Verbal para jor­nalismo, teatro, universidades e empresas desde 1997. Pesquisadora em Comunicação e Fisiologia das Emoções e Voz. Administradora e facilitadora de aprendizagem na ATMA Comunicação Pessoal. Consultora executiva e empresarial na área de comunicação.

e/ou

Jeffersonn Moraes-  Coach, facilitador de grupos, empresário e empreendedor. Formação em Psicologia, com especialização em Neuropsicologia, em Dinâmica dos Grupos pela SBDG/RS, em Coaching pela ABRACEM/SP. Formação em Análise Transacional (AT202), membro Didata em formação da UNAT-Brasil para a Área Organizacional. Sócio administrador da QUIRON Desenvolvimento, atua no gerenciamento de empresas desde 1990 e em consultoria em Gestão de Pessoas e em programas de treinamento e desenvolvimento nas áreas comportamental e empreendedorismo desde 1999 em empresas de variados portes e segmentos. Expertise em desenvolvimento de lideranças e equipes. Facilitador do programa Empretec. Periodicamente atua como membro voluntário da ABRH e da SBDG. Desde 2005 atua como voluntário em empreendedorismo social. Atualmente membro voluntário do Conselho Deliberativo da UNAT-Brasil. Em 2015 presidiu Congresso Brasileiro de AT.

Investimento

O valor por pessoa será de R$ 420,00 (quatrocentos e  vinte reais).

Valor especial para estudantes de graduação e sócios do clube de Comunicação Pessoal: R$ 320,00 (trezentos e vinte reais)

Próximos grupos

Curitiba:

 

Outubro: 07 e 08. Sexta das 16 às 22h e sábado das 8h30 às 17h30. Com Andréia Cechin

Novembro: De 7 a 11 de novembro, das 18h15 às 22h.

Dezembro:  02 e 03, sexta e sábado. Sexta das 14 às 21h30 e sábado das 8h30 às 17h. Com Jeff Moraes

INSCREVA-SE

Para ver  vídeos sobre AT  acesse: https://www.youtube.com/playlist?list=PLKl9ycoO_QXYvLbFcZirkNyuhxV1SxZ9V

Ruídos da Comunicação

Qual a expectativa de uma pessoa que se coloca diante de alguém que está prestes a fazer um discurso, uma apresentação ou a condução de um trabalho em grupo?

Na atualidade, os públicos em geral buscam o conteúdo, o conhecimento e a troca de experiências. Para que isto ocorra, esperam do Facilitador de Aprendizagem a habilidade de conduzir uma apresentação ou atividade de maneira eficaz e objetiva, mesmo quando o assunto é subjetivo.

Diferentemente da época das batalhas entre oradores em arenas, na Oratória Antiga romana por volta de 70 a.C., a Oratória Contemporânea valoriza o conteúdo. Sendo assim, tudo o que tira a atenção do ouvinte para a forma, distraindo-o, é considerado Ruído da Comunicação.

Tais Ruídos variam quanto à manifestação, podendo ser auditivos, visuais ou de linguagem.

A origem deles geralmente está relacionada à Diálogos Internos que acontecem durante a apresentação e tornam-se externos aparecendo no corpo e na fala. A repetição deles produzem os vícios de gestos, palavras ou movimentos que chamam a atenção do interlocutor.

Dentre os auditivos, podemos considerar tudo o que faz barulho literal, como acessórios de vestuário (pulseiras, sapatos de salto), o som de clique de uma caneta, utilização de sons de palmas ou outros no power point, som de celular, dentre outros.

Ruídos visuais são variados, como muita informação de cores e estampas no vestuário do apresentador, excesso de estímulos em slides, movimentação sem função, gesticulação inadequada ao ambiente ou conteúdo, uso ineficaz da ponteira laser.

Na fala, aparecem com a utilização disfuncional da própria língua, como a clássica repetição de /né/, /tá/, /daí/, /ééééé/, /aaaaa/, além de gerundismo ou utilização intensa de uma palavra específica.

O primeiro passo para diminuir os Ruídos da Comunicação é ter consciência deles. Pedir feedback a alguém de confiança ou assistir filmagens das próprias apresentações são meios úteis. Ao conscientizar-se, convém escolher um objetivo por vez, para que a ansiedade em resolver não cause mais Diálogos Internos com consequentes Ruídos Externos.

Se a dificuldade persistir, uma assessoria pessoal em Aperfeiçoamento da Comunicação é uma boa opção.

O mais importante é considerar que qualquer pessoa tem condições de falar em público, pois o que interessa não é a forma ou a capacidade de “dar um show”. Se há o desejo sincero de compartilhar conhecimento ou experiência, a espontaneidade evitará cobranças pessoais desnecessárias e os envolvidos provavelmente ficarão satisfeitos.